Segurança do condomínio: responsabilidade de todos

Compartilhamos o artigo do consultor em segurança, síndico profissional e parceiro da Adees, João Bosco, sobre a tragédia ocorrida no dia 29/07 no bairro Água Verde, em Curitiba:

Acredito que você deve ter ouvido ou assistido na televisão ou redes sociais, a tragédia que ocorreu neste sábado, dia 29, num edifício no bairro Água Verde em Curitiba, na Rua Dom Pedro I.

Foi contratado um serviço de impermeabilização para o sofá e, num dado momento, ocorreu uma violenta explosão, destruindo praticamente todo o apartamento. As imagens são assustadoras.

A explosão foi tão violenta que arrancou paredes do imóvel e um menino de 11 anos foi arremessado para fora caindo do 6ª, não resistindo aos ferimentos veio morrer no início da tarde no Hospital do Trabalhador. Os demais ocupantes estão internados, dois em estado grave.

Segundo as reportagens, “Os danos à estrutura do prédio ainda estão sendo avaliados por engenheiros da Comissão de Segurança de Edificações e Imóveis (Cosedi), órgão da prefeitura de Curitiba, que interditou o local por precaução”.

Foi uma notícia triste que mexeu com os sentimentos de todos que viram as imagens nas reportagens e redes sociais. Além da tragédia envolvendo vidas, fica o enorme prejuízo material, bem como o transtorno para todos os moradores do edifício, que até então, não puderam retornar para seus apartamentos.

Morar em condomínio significa dividir responsabilidades entre todos. O que eu faço no interior do meu imóvel, pode afetar a vida de todos em questão de segundos.

Ao longo da minha experiência como síndico e consultor em treinamento condominial, batalho no sentido dos síndicos reunirem os moradores para ouvirem uma palestra que fale sobre segurança condominial ou sobre prevenção e incêndio nas unidades, mas, os resultados estão muito distantes do mínimo almejado.

No caso dos incêndios em unidades condominiais, a maioria esmagadora começou com um principio de incêndio, fruto de um descuido ou da falta de informação. Ambas as situações podem ser resolvidas com uma única palavrinha: INFORMAÇÃO!

No caso especifico deste acontecimento fatal aqui relatado e de tantos outros semelhantes pelo Brasil a fora, retrata falta de informação, excesso de autoconfiança, descuido, entre outros.

Segundo o Corpo de Bombeiros se utilizava para fazer esta impermeabilização solvente, cuja secagem é rápida. Entretanto, o uso destes produtos deve seguir uma série de protocolos pela sua elevada toxicidade e alta inflamabilidade. É como se você estivesse com uma pequena bomba em sua casa. Qualquer fagulha, faísca podem promover uma explosão.

Fica o recado, para você que mora em condomínio: Todos temos responsabilidades que se cruzam e nossos atos podem afetar a todos, dependendo da intensidade e gravidade.

Desta forma, é importante que todos tenham conhecimento das possíveis situações que possam causar um principio de incêndio, saber como evitar, saber como combater de forma rápida e segura.

Quantos sabem utilizar um extintor de incêndio?

Quem sabe seja o momento oportuno de levar estas informações para dentro do seu condomínio através de uma palestra envolvendo todos os moradores.

Foto: G1